Receba todas as notícias do Avenged Sevenfold no seu E-mail

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Timesleader: "Jimmy ainda nos ajuda nas composições"

Synyster Gates conversou recentemente com o site Timesleader.com sobre o álbum Hail To The King, como Jimmy ainda os influencia, o jogo Hail To The King: Deathbat e sua visão sobre o rock/metal atualmente. Você pode ler a entrevista completa abaixo:




  
Tem sido um ano excepcional, até agora, para o Avenged Sevenfold sendo headlines dos maiores festivais, ser a banda cartaz do prestigiado Download Festival, no Reino Unido, e se preparando para lançar a reedição ampliada do álbum de 2003 "Waking the Fallen" no próximo mês, o mais recente álbum de estúdio do Avenged o "Hail to the King" no final de 2013 foi 1 º lugar na Billboard no top 200 na primeira semana de lançamento; O sucesso do álbum espalhado por todo o mundo e continua com single "This Means War" nas rádios. O álbum também foi o primeiro registro da banda sem o baterista fundador Jimmy "The Rev" Sullivan, que faleceu inesperadamente em 2009.

"Hail to the King" tomou algumas críticas no início dos “haters” no fato de que o álbum foi um pouco diferente aos sons mais frenéticos da banda; esse álbum foi mais “amadurecido”, comparado com a vibração do “Black Album” do Metallica, estabelecendo-se muito bem ao histórico do metal, mas com os gritos violentos do vocalista M. Shadows e uma fusão de ritmos. A banda rebateu as críticas, sem olhar para trás e formando uma ideia que o guitarrista Synyster Gates chama de "filosofia muito moderna, progressista".

"O Black Sabbath, AC / DC, Led Zeppelin são influência”, disse Gates em relação ao mais recente álbum. "Nós queríamos criar um espaço ao invés de apenas encher a canção, com quatro pontes e três coros e harmonias vocais em todos os lugares, com duelos de guitarra por cima. O objetivo era concentrar na composição e os arranjos.”

O Crescimento de composição da banda se ampliando através do novo álbum. O registro deve-se a ajuda do novo baterista Arin llejay que substitui o falecido The Rev, de quem Gates descreve como "um dos bateristas com um bom gosto que eu já ouvi em toda a minha vida.”.

"Ele é um filosofo enorme e isso é bárbaro, tinha grandes ideias para o disco", disse Gates e admitiu.

"Ele realmente tem isso em seu coração e alma. Queríamos abordar um jovem garoto que viesse do nada e que encarrasse tocar na frente de 50.000 pessoas. Ele realmente encarrou isso.”

Mas não se engane "The Rev" não está só eternizado no pensamento dos fãs, mas dentro  da banda também, como Gates explicou há 5 anos tem um pouco de Sullivan em cada passo da banda.

"E perguntam  “O que Jimmy faria?”, ele disse. "Ele está sempre conosco. Lembro que uma vez estávamos escrevendo em seu aniversário, ficamos a semana inteira pensando em um coro mais não achávamos e tentamos uma versão diferente, porque Jimmy sempre foi assim “Oh yeah, apenas tentar isso de forma diferente ", e saiu de um jeito que gostamos. Eu não sou um cara muito religioso ou espiritual, mas foi uma coincidência legal - ele poderia nos dar um presente como esse em seu aniversário ".

"The Rev" também é lembrado no próximo jogo do Avenged Sevenfold, no qual a banda está dando os retoques finais. Projetado especificamente para dispositivos móveis, "Hail to the King: Deathbat" seguirá mascote da banda, Deathbat, e como ele vai salvar Andronikos do mal do submundo.

"Seus pais (de Sullivan) nos deram a sua bênção, para colocá-lo no jogo", disse Gates. "Uma vez que você desbloquear seu personagem, você pode usá-lo como seu companheiro para ajudar através dos níveis."

Ao saber que o jogo é tão esperado, a banda resolveu acompanhar a produção de designer e dublagem e Gates contou um acontecimento.

"Nós fizemos as dublagens quando estávamos um pouco bêbados", disse Gates, com uma risada completou: "E todos nós queríamos algo diferente como arma. Demos ao Arin uma espada de dois lados, e eu tenho este pequeno demônio que roda em torno de mim. Quando você usar meus poderes mágicos, eu jogo umas “mergulhar-bombas” que foram dubladas apenas para o jogo. Johnny (Christ, o baixista) tem essa "espada inferno" que chove sangue”.

Quanto ao público que o Avenged viu durante a sua corrida neste festival, Gates disse que é prova que o rock 'n roll está longe de morrer nos Estados Unidos.

"Você apenas tem que ter um olhar para aquela multidão e ver que eles estão vivos e respirando", disse ele. "Além disso, temos um grupo de amigos em turnê com a gente, como os caras do Korn, de modo que realmente ajudam a contribui para isso. Estamos sempre animados para chegar lá e fazer o que gostamos; nossos fãs são ótimos.”
Compartilhe!
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...