Receba todas as notícias do Avenged Sevenfold no seu E-mail

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Arin Ilejay: As suas maiores influências

O Site Music Radar pediu para que Arin Ilejay falasse a suas 9 maiores influencias na bateria.

O Baterista foi bem alternativo nas suas escolhas, citou músicos de Jazz, rock e metal e entre outros. E em sua lista destaque muito especial para os fãs do Avenged Sevenfold.




Dave Weckl
 “Uma das primeiras grandes influências para mim foi Dave Weckl. Este é o tipo de cara que eu iria apenas sentar e ouvir. Aprendi bateria por apenas ouvir música e tocar o que eu ouvi. Meu pai me mostrou o Dave Weckl, e sua forma de tocar é incrível.

"Na época, eu não conseguia puxar algo dele – E eu não acho conseguiria agora, para ser honesto faz um tempo que eu não o escuto, porque eu tenho apostado em músicas diferentes, mas ele me inspirou a querer ser o melhor.”

Jon Theodore e Thomas Pridgen

"The Mars Volta é uma grande coisa para mim. Caras como Jon Theodore e Thomas Pridgen são incríveis. Thomas Pridgen tem sido uma enorme influência para mim recentemente. Jon Theodore teve uma enorme influência sobre o meu estilo também. Ele ampliou meus horizontes quando se trata de diferentes técnicas.”
Chris Pennie, Gil Sharone e Carter Beauford

"Chris Pennie e Gil Sharone do Dillinger Escape Plan eram grandes para mim também. Esses caras me influenciaram muito. Ouvindo esse estilo do Dillinger de tocar bateria me chamou a atenção em primeiro lugar. Eu adorava ouvir o trabalho sincopado entre bateria e guitarra.
"E eu gosto do Carter Beauford do Dave Matthews Band, por causa de toda a bateria sincopada. Esse estilo se tornou as minhas coisas favoritas para ouvir."

Jimmy “The Rev” Sullivan

"The Rev foi a pessoa que me meteu no metal. Não havia nenhum baterista de metal que me atraiu como ele. As técnicas do Jimmy são incríveis, então [em se juntar a banda], sendo já um fã e ele sendo um dos meus favoritos, eu queria fazer as coisas direito, sabe? Então eu estava tipo, 'Eu vou fazer direito. isto é o que eu sou bom, é isso que eu faço.”

Lars Ulrich e Ringo Starr

"A Muitas coisas que fazem o Lars o melhor baterista de metal. Ele não tem as loucuras de destruição que um monte de bateristas tem, mas tem a melhor presença de palco do que qualquer outro baterista. Ele é fora do normal, escreve partes incríveis para a música. Ele é o Ringo Starr do metal. Ringo e Lars obtém o mínimo de crédito, eles são gênios absolutos. Eu costumava pensar que os bateristas ralavam para chegar a algum lugar, mas quando você olha para a indústria da música está saturado com músicos incríveis.

"Em Hail To The King, junto com todos os nossos fãs, eu pensei que precisava escrever as mais loucas partes de bateria para o disco, algo para representar o The Rev. Mas a banda queria que eu criasse meu próprio som e legado. E para o próximo álbum eu pretendo pensar em mais ideias de ter alguns preenchimentos loucos”.
Compartilhe!
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...